domingo, 27 de março de 2016

São somente as dores de uma paz distante e o medo sob a visão do caos.  Deixe esse canto triste e melancólico ecoar outras travessias e morrer à beira da solidão. De longe parecia ser flores em um imenso jardim, logo seguida os olhares turvos as mentes se perdem entre os vãos da existência. Meu eu distante e o silêncio apascenta meu ser.  

Metáforas do Eu
Visite o site da editora e procure pelo nome do autor. Livro Êxtase da alma e mais recente, Metáforas do eu. Acesse:  http://189.111.238.146/cont/login/Index_Piloto.jsp?ID=bv24x7br
Luiz Carlos de Proença